teste
Anuncie Aqui topo
DESMATAMENTO

Operação conjunta fiscaliza desmatamento em áreas de preservação na região do Manso

No local, também foi constatada a destruição da vegetação nativa e também foram apreendidas armas em “barracos” encontrados no local

23/07/2020 16h23
Por: Luciana Bonfim
Fonte: Governo de MT

Uma operação conjunta realizada na região do Manso, município de Chapada dos Guimarães (67 km ao norte de Cuiabá), foi deflagrada nesta quarta-feira (22.07) pelas equipes da Delegacia Especializada de Defesa do Meio Ambiente (Dema) da Polícia Civil, Batalhão Ambiental da Polícia Militar e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Polítec).

A fiscalização tinha o objetivo de averiguar denúncias sobre desmatamento em áreas de preservação permanente (APP).

Quando as equipes chegaram ao local indicado, constataram a veracidade da denúncia, sendo encontrados “barracos” improvisados à beira do lago do Manso, porém, não foi localizada nenhuma pessoa. Em vistoria na região, foram encontradas duas armas de fogo, munições intactas, arma de pressão e uma rede de pesca.

Após identificarem o dono de um dos barracos, os policiais entraram em contato com ele por telefone, solicitando que compareça à delegacia para prestar esclarecimentos.

Em outro ponto indicado, os policiais fiscalizaram a área de preservação permanente também com a finalidade de verificar denúncia de desflorestamento da vegetação sem a devida autorização do órgão ambiental.

No local, também foi constatada a destruição da vegetação nativa e também foram encontrados “barracos”, onde foram realizadas buscas. Em um dos deles foram encontradas escondidas duas armas de fogo, cartucheiras, e quatro cartuchos deflagrados, porém, novamente nenhum suspeito foi localizado.

Diante dos fatos, os materiais apreendidos foram encaminhados à Delegacia do Meio Ambiente, em Cuiabá, para as providências cabíveis.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários