Campanha Consertamos MT (outubro)
Anuncie Aqui topo
teste
Mais um adeus

Será 2020 o ano em que diremos adeus a tudo e a todos?

No meio da confusão, do caos cotidiano, o indivíduo perde força, se torna número.

De Longe

De LongeEU por mim: *Luis Taylor é um sobrevivente da diáspora europeia do brasileiro médio e trabalha com o que der, quando der. Sempre escreveu, mas nem sempre foi compreendido. Vive às voltas com arrependimentos e esquilos.

30/08/2020 11h16Atualizado há 2 meses
Por: Luciana Bonfim
Fonte: Luis Taylor

Sexta-feira de folga. Lá fora a chuva cai, aliviando o calor que teima em deixar tudo mais largado e preguiçoso. Nos primeiros minutos do dia, ocupo-me com espreguiçares e olhadas na tela do celular, onde busco notícias sobre o que me cerca. Brexit, quarentena, escândalos, presidentes e primeiros-ministros à beira do colapso, violência, novas músicas para a semana…

E no meio dessa leva de informação, mais uma despedida. Mais uma pessoa que conhecia sucumbe para o vírus que não distingue classe, escolaridade, cor de pele, vontade ou não de viver. Mais um jovem que se vai, com tanta tempo pela frente. Já soa como se fosse um mantra: tão jovem, tão jovem, tão jovem…

No meio da confusão, do caos cotidiano, o indivíduo perde força, se torna número. Descobrimos quem nos fará falta pelas mensagens dos outros. Doente, ou nem tanto, mais um amigo é internado. O medo está presente em cada esquina. A cada inspiração, uma nova piração. Respirar é sobreviver, mas pode ser a sua sentença de morte. Paradoxos em tempo de pandemia. 

A cabeça também não está lá essas coisas… Escrever é colocar pensamentos em ordem e isso já não é a ordem do dia faz dias. Então vou trilhando frases em curvas íngremes enquanto tento não ficar ansioso (ou mais). Lido com mais um dia em isolamento pensando que me roubaram um ano inteiro de vida. Mas me aguarde: em 2021 viverei como se não houvesse amanhã. Ou talvez saiba que isso também é uma mentira que criei para tentar não sofrer mais em 2020, enquanto me despeço de queridos que se vão aos montes e, para os quais, 2021 nunca deixará de ser o ano que vem. 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários