teste
DOIS DECRETOS

Carnaval em Chapada: bares abertos, silêncio, medidas de biossegurança e forte fiscalização

Com festividades proibidas, Prefeitura já começou a notificar responsáveis

12/02/2021 17h39Atualizado há 2 semanas
Por: Priscila Mendes
Fonte: Da Redação
Foto: Santos da Praça Barzinho
Foto: Santos da Praça Barzinho

Apesar de a Prefeitura de Chapada dos Guimarães proibir toda festividade de Carnaval na cidade como medida de prevenção à Covid-19 (leia mais sobre o Decreto Municipal nº 12/2021 neste link), a expectativa é de aumento de pelo menos 30% no fluxo de pessoas para o período que compreende esta sexta-feira (12) e a próxima terça-feira (16).

A previsão é da secretária de Saúde, Rosa Maria Blanco Manzano, em entrevista ao Notícias da Chapada, mesmo informando ser difícil dar precisão na estimativa, já que é a “primeira vez que é necessário suspender o carnaval em Chapada”, município de referência na celebração da folia.

A proprietária do Santos da Praça Barzinho, Flávia Cintra, disse estar otimista com o comércio neste período, mesmo reconhecendo que será bem abaixo de qualquer outro ano. “Nossa expectativa é boa, mas não como nos outros anos, já que o carnaval era quem segurava a gente [dos bares e restaurantes] no restante do ano”.

O decreto de cancelamento do carnaval em Chapada dos Guimarães preocupou Flávia Cintra, mas avaliações informais apontam para boa ocupação da cidade. “Fiquei sabendo que os hotéis estão lotados e que não houve cancelamento de visitas com os guias”. Flávia resume o momento: “boa expectativa, mas com cautela”.

Fiscalização

Os bares, restaurantes e congêneres estão, desde 27 de janeiro, funcionando conforme o decreto de situação de emergência do município (leia mais sobre o Decreto Municipal nº 08/2021 neste link), que implica em, entre outras medidas, restringir a clientela em 50%, funcionar entre 11h e 23h, manter espaçamento de pelo menos 1,5m entre as mesas e disponibilizar álcool em gel.

Nesses moldes, bares como o de Flávia seguirão abertos. “Estamos atendendo as medidas, passando álcool em tudo, disponibilizando para clientes, restringindo as mesas para até quatro adultos, mas contamos também com a fiscalização municipal. Não adianta os bares fecharem e as festas acontecerem nas casas. Precisamos de prevenção, claro, mas, querendo ou não, o comércio está sendo prejudicado”.

O secretário de Finanças de Chapada dos Guimarães, Dagoberto Belufi, pasta responsável pela fiscalização no município, informou que as fiscalizações já começaram hoje (12) e já estão atendendo denúncias e notificando a proibição de festas aos responsáveis por programações divulgadas nas redes sociais.

Dagoberto informou ainda que o efetivo da Polícia Militar foi dobrado para atender o período. “Estamos também com a atuação do Conselho Tutelar e da Polícia Civil”. Para denúncias, os telefones são o (65) 9 9269-7015 e 190 (PM).

"Sabemos que o carnaval é cultural, mas vivemos uma pandemia e pedimos para os chapadenses, os turistas e para a população cuiabana que cumpram o decreto determinado”, comentou Dagoberto. O secretário deixou claro que os visitantes são bem-vindos, desde que não promovam festas de carnaval. “Não que não venham para cá, mas que venham para curtir o clima de Chapada, sem aglomeração e sem som”.

Inclusive, o secretário esclareceu que os bares e restaurantes podem funcionar conforme o decreto 08, mas sem qualquer som, nem mesmo som mecânico, lembrando que para o cidadão comum a multa é de R$ 5 mil e para as empresas, de R$ 30 mil.

Os comerciantes que persistirem em festas clandestinas terão “o estabelecimento fechado, suspensão do alvará e, em caso de insistência, condução à delegacia para as devidas providências”, esclarece Dagoberto.

 Questão de saúde pública

A secretária de Saúde, Rosa Blanco, sabe que, mesmo com o ponto facultativo suspenso na maior parte das instituições públicas e privadas, a visitação em Chapada dos Guimarães neste período deve ser superior a de um fim de semana comum, que já maior que a circulação em dias de semana.

Por esse motivo, prevendo intercorrências com bebidas alcóolicas, já preparou a UPA com mais medicamento, anunciou que haverá dois médicos plantonistas e providenciou uma ambulância alfa a mais, vinda de Cuiabá.

No entanto, a maior preocupação da enfermeira é com a transmissão da Covid-19. “Só em janeiro deste ano, tivemos 140 casos confirmados da doença em Chapada dos Guimarães e atribuímos esse grande aumento às festividades de fim de ano”, explica Rosa Blanco, destacando que os números de doentes refletem infecção semanas antes do agravamento dos sintomas.

Em relatório encaminhado à Redação pela secretária, esse aumento foi de 289%, já que em dezembro de 2020, houve 36 casos confirmados de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Os 140 casos confirmados de janeiro são o maior índice desde abril de 2020, quando começaram os exames. Em junho houve o maior número (109 confirmados) e, desde então, os casos vinham caindo, com as maiores baixas em outubro (22 casos) e novembro (16), até a ascensão vertiginosa em dezembro do mesmo ano.

Chapada dos Guimarães registrou até ontem (11/02), 638 casos confirmados (janeiro concentrou 22% dos 11 meses avaliados), 2974 casos suspeitos e 24 óbitos. A população da cidade é de 20 mil habitantes.

2comentários
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários