Selko Internet superbanner
Pelé supermercado
FIQUE EM CASA

“Estamos fazendo o possível e o impossível para abrir UTI, mas não há profissionais disponíveis”, declara governador

Mauro Mendes relatou que é preciso diminuir o contato social para evitar o contágio

06/03/2021 08h44Atualizado há 1 mês
Por: Luciana Bonfim
Fonte: Lucas Rodrigues | Secom-MT

O governador Mauro Mendes afirmou que a gestão do Executivo Estadual está fazendo o “possível e o impossível” para abrir novos leitos de UTI para covid-19 em Mato Grosso, mas há falta de profissionais disponíveis no mercado.

A declaração foi dada em entrevista ao MT2, da TV Centro América, na noite dessa sexta-feira (05). No momento, 96% das UTI no Estado estão ocupadas.

Mauro Mendes relatou que em março do ano passado, quando a pandemia chegou a Mato Grosso, o estado tinha 124 UTI, entre as próprias e as contratadas pelo Governo. Hoje o estado financia 482 UTI, quase quatro vezes mais.

“Só este ano, abrimos 90 novas UTI, quando percebemos que estava vindo uma nova onda de pandemia. Mas nós não estamos mais encontrando profissionais para UTI. Faltam médicos, profissionais habilitados na enfermagem, fisioterapeutas... Neste momento o problema é gente, pessoas”, explicou.

Exemplo disso, de acordo com o governador, é que municípios como Confresa e Querência já contam com UTI prontas, mas não há equipe médica para operá-las. “O Governo do Estado mandou equipamentos e os prefeitos fizeram a lição de casa, mas estamos com grandes dificuldades de abrir essas UTI, porque não estamos encontrando profissionais. As 10 UTI de Sinop, que abrimos essa semana, publicamos cinco vezes o chamamento até conseguir encontrar equipe para abrir”, citou.

Mauro Mendes ressaltou que o Governo está disposto a tomar todas as medidas necessárias para viabilizar as UTI, inclusive de aumentar o valor oferecido aos profissionais de Saúde. “Eu autorizei o Gilberto [Figueiredo, secretário de Estado de Saúde] a tomar medidas extraordinárias, o possível e o impossível para abrir mais leitos, pagar mais caro se for necessário, pagar valores maiores aos profissionais se encontrar em algum lugar para trazer para abrir as UTI”, frisou.

Porém, o governador lembrou que a abertura de UTI não basta: é preciso colaboração da população para evitar que o vírus circule. “Nesse momento, está nas mãos de Deus e da população para a gente diminuir a circulação do vírus em Mato Grosso. Não há vacinas para todo mundo, o Governo Federal não conseguiu comprar. Estou fazendo um esforço gigantesco, essa semana fui a Brasília, conversei hoje com o embaixador dos EUA. Dinheiro nós temos, o problema está sendo encontrar quem queira vender para nós”.

“Agora é com a população: o vírus só circula no contato entre as pessoas. Temos que diminuir a circulação das pessoas, as pessoas precisam redobrar os cuidados, as medidas não farmacológicas [...] Todos têm que dar uma parcela de colaboração para salvar centenas, talvez milhares de vidas. O vírus só circula no contato entre as pessoas. Só saia de casa se realmente precisa, se for trabalhar faça com cuidado, use a máscara, faça todos os procedimentos que todo mundo já conhece”, declarou.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários