Farmácia
SAÚDE PÚBLICA

Campanha contra a raiva animal tem início em Chapada

Agentes de Vigilância em Saúde visitam casas para vacinar cães e gatos

22/09/2021 19h07
Por: Laura Matos Lucena
Fonte: Da redação

Começou nesta segunda-feira, 20.09, a primeira fase da campanha de vacinação antirrábica em Chapada dos Guimarães. Como de praxe, a equipe da vigilância em saúde do Município visita casa por casa do perímetro urbano. As residências do bairro Nova Chapada foram as primeiras a receber a equipe da prefeitura

Acompanhada por um carro munido de alto falante, a equipe da vacinação antirrábica em seguida passou pelos bairros Mirantinho e hoje se encontra no Olho D´´agua. Em seguida será a vez dos bairros São Sebastião, Vista Alegre, Sol Nascente, Bela Vista, 1º de Julho, Santa Elvira, Santa Cruz, Miraflores e Vale da Lua.

A campanha terá aproximadamente dois meses de duração, como informa o superintendente da Vigilância em Saúde do município, Marcelo Amaro. Segundo ele, o objetivo da prefeitura é atingir todos os bairros da cidade e também comunidades da zona rural, numa segunda fase.

“Esses bairros fazem parte da primeira fase da operação, mas o objetivo é atingir todos os bairros do município”, declarou Amaro.

RAIVA MATA

A raiva é uma doença de extrema importância para saúde pública, devido a sua letalidade de aproximadamente 100%.  É uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem. Tem como característica uma encefalite – dor de cabeça - progressiva e aguda.

É causada pelo Vírus do gênero Lyssavirus, da família Rabhdoviridae e transmitida ao humano pelo contato com o vírus rábico, através da saliva do animal infectado, sendo cães e gatos os principais responsáveis pela cadeia de transmissão na área urbana.

É transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura, podendo ser transmitida também pela arranhadura e/ou lambedura desses animais.

O período de incubação é variável entre as espécies, desde dias até anos, com uma média de 45 dias no ser humano, podendo ser mais curto em crianças. O período de incubação está relacionado à localização, extensão e profundidade da mordedura, arranhadura, lambedura ou tipo de contato com a saliva do animal infectado; da proximidade da porta de entrada com o cérebro e troncos nervosos; concentração de partículas virais inoculadas e cepa viral.

Não se sabe ao certo qual o período de transmissibilidade do vírus em animais silvestres. Entretanto, sabe-se que os quirópteros (morcegos) podem albergar o vírus por longo período, sem sintomatologia aparente.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários