Farmácia
ASSUSTADOR

Motorista envolvido em abuso de aluna no transporte escolar

Chapada dos Guimarães é apenas um dos 141 municípios de Mato Grsso tem denúncias de irregularidades detectadas pelo TCE

29/09/2021 09h06
Por: Laura Matos Lucena
Fonte: Da redação

Em Chapada dos Guimarães, em um período antes da pandemia, uma adolescente é abusada sexualmente dentro do ônibus escolar. A família só descobriu no auge da pandemia. O caso segue em segredo de justiça. Um caso raro? Não. É o que detectou uma auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo (Secex) de Educação e Segurança do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT).

A auditoria detectou que todos os 141 municípios do estado apresentam irregularidades no transporte público escolar, desde a utilização de caminhões para a condução dos estudantes até a contratação de motoristas que respondem por crimes como estupro e corrupção de menores. O relatório técnico, executado pelo presidente do TCE/MT, conselheiro Guilherme Antonio Maluf, leva em consideração o transporte escolar à disposição em 2020.

O que não significa que tais irregularidades passaram a existir apenas desde então. O caso que abre o texto desta reportagem aconteceu em 2019. A família da menor até hoje não sabe quem foi o motorista responsável pelo abuso da menina. “Isto deixa a gente vulnerável. Chapada é uma cidade pequena. Sem saber quem são os responsáveis, podemos estar diante deles, conversar e não saber. É muito desconfortável. Acho que tem gente grande envolvida”, desabafou a mãe da vítima.

Segundo ela, desde que tomou conhecimento do fato, logo no início do segundo semestre do ano passado, peregrina duas ou três vezes em busca de informações. Mas ninguém lhe diz nada além de “o inquérito continua em andamento”. A vítima está frequentando um médico psiquiatra que lhe receitou Centralina para a depressão. Os primeiros sinais físicos de que foi abusada surgiram quando a menor começou a vomitar sangue. A mãe chegou de pensar que a menina estava com câncer.

MEDO DO MOTORISTA

Antes de vomitar sangue, a adolescente passou a dizer que não gostava do motorista do ônibus. Recusava-se a ir para a escola no veículo ofertado pelo transporte público municipal. Em seguida, ela começou a vomitar sangue. A mãe mudou até de bairro para que a jovem, de 12 anos, voltasse a pegar o ônibus escolar. A menina preferia ir a pé. A mãe insistindo com ela para aceitar o transporte escolar, que erroneamente via como sendo mais seguro. E deveria ser. Mas não é!

A história do mencionado abuso é mais estranha ainda quando se toma conhecimento de que o abuso envolveu outro homem além do motorista do transporte escolar. A família receia que o caso envolva gente importante na cidade. A mãe da menor chega a falar que existe uma máfia envolvida em pedofilia na cidade.

Com a palavra, as autoridades!

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários