Sexta, 20 de Maio de 2022
65 99313-1286
Cultura CUIABARATOTAL

Antônio Sodré é celebrado em Cuiabaratotal, exibido no Cine Teatro

Performance poético-musical com André Balbino & Eduardo Ferreira antecede exibição

09/05/2022 09h17
Por: Luciana Bonfim Fonte: DA ASSESSORIA
Antônio Sodré é celebrado em Cuiabaratotal, exibido no Cine Teatro

Auto-proclamado o “poeta da transmutação”, o saudoso Antônio Sodré, ou Sodrezinho, é homenageado no documentário “Cuiabaratotal” (MT, 2021, 30’), dirigido por Lidiane Barros & Protásio de Morais, atração presencial nessa terça-feira, 10 de maio, às 19h30, no Cine Teatro Cuiabá. A sessão integra o projeto “Encontros com Cinema” e a agenda de comemorações dos 80 anos da abertura do Cine Teatro Cuiabá (inaugurado em 23 de maio de 1942). A partir das 19h, os multiartistas André Balbino & Eduardo Ferreira, amigos e parceiros criativos de Antônio Sodré, fazem performance poético-musical no foyer do Cine Teatro, antes da exibição do filme. Classificação indicativa livre e entrada gratuita. A partir das 19h30 é permitido estacionar em frente ao Cine Teatro Cuiabá. 

Sobre “Cuiabaratotal”

Sinopse: Os passos e ações como que calculadas e comedidas, eram fachada do interior que guardava um turbilhão de ideias e planos de mudar o mundo. Antônio Sodré  (27/06/1959 – 19/02/2011) escrevia aforismos, crítica política, teorias e críticas literárias, problematizava a pintura, filosofava, escrevia poesias e se agigantava quando subia em palco. “Cuiabaratotal” é dedicado ao autodeclarado poeta da transmutação. 

No documentário, amigos e parceiros de Antônio Sodré relembram vivências com Sodré e fazem comentários sobre a trajetória do multiartista, que passeava com desenvoltura entre poesia e música, tendo suas principais canções gravadas pelas bandas “Biniditus” e “Caximir”. Os diretores do filme, Lidiane Barros e Protásio de Morais tiveram a chance de conviver com Sodrezinho. Com base em entrevistas com a família e amigos de longa data, construíram um documentário que realça o poder da palavra de Sodré, que foi essência para poesias e músicas. Também exaltam a contribuição de Sodré à literatura mato-grossense e à formação de leitores à frente da famosa banca que ocupou espaços no Instituto de Linguagens da Universidade Federal de Mato Grosso. O documentário tem edição de Rosano Mauro Jr (que divide direção de fotografia com Protásio de Morais) e motion design de Marcelo Sant’Ana. Participam do filme artistas e pesquisadores como Amauri Lobo, Eduardo Ferreira, Anna Amélia Marimon, Mari Gemma de la Cruz, Luiz Renato, Maria Sodré, Marisa Camargo, André Balbino, José Sodré, Maurília Valderez, Neyres Taveira e Ramon Carlini.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias